Veloce.Net
Português
English
Español
Press releases

O que é GHG Protocol e registro público de emissões?

INTRA LOGÍSTICA / ONLINE

O Programa Brasileiro GHG Protocol chegou por aqui em 2008, com o objetivo de classificar e quantificar as emissões de GEE (Gases de Efeito Estufa) das empresas em operação no País. Seguindo a metodologia criada em 1998 pelo instituto americano World Resources Institute (WRI), uma das mais utilizadas atualmente, o programa brasileiro foi adaptado às características nacionais com o apoio do Ministério do Meio Ambiente, do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável e de outras organizações em prol da sustentabilidade.

Além de quantificar as emissões, o GHG Protocol aponta para as empresas associadas os caminhos e as alternativas, como a neutralidade de GEE, para reduzir essas emissões. Este ano, apenas quatros empresas de logística se registraram no programa.

Registro Público de Emissões O crescimento sustentável, assim como as emissões de GEE, deve conter informação transparente e de conhecimento público. E essa é a ideia do Registro Público de Emissões, onde as empresas ligadas ao GHG Protocol têm a oportunidade de publicar os inventários anuais de emissões.

As empresas também recebem uma classificação, dividida entre ouro, prata e bronze. A versão ouro e prata são entregues a empresas que publicam o inventário integral, sendo que a versão ouro é cedida a empresas que optam pela contratação de uma instituição que aplica a segunda avaliação sobre as emissões do ano. Já a versão bronze é destinada a empresas que optaram pelo inventário parcial, ou seja, que deixaram um ou mais gases fora do inventário. No entanto, para manter a transparência, as empresas precisam divulgar no relatório quais gases foram deixados fora da medição.

Para consultar o Registro Público de Emissões visite o site www.registropublicodeemissoes.com.br.

As empresas Atualmente o GHG Protocol brasileiro conta com 93 empresas registradas, como a Unilever, o Banco do Brasil, O Boticário, entre outras. Na lista do setor de transporte, armazenagem e correio, o número ainda é pequeno, mas significativo: Coopercarga, Gol, Veloce e Vix.

Este, por exemplo, já é o segundo ano que a Veloce participa do GHG Protocol. A iniciativa já contribuiu para que a quantidade de emissões de GEE da empresa caísse 19% entre 2010 e 2011. Para isso, a Veloce reduziu a idade média da frota, aumentou o comprimento das carretas (elevando a capacidade de carga e reduzindo o número de viagens) e diminuiu em 44% a distância percorrida pelos executivos em viagens de negócios.

Como a logística é um dos setores com as maiores taxas de poluição, a expectativa é que o número de empresas interessadas em reduzir suas emissões e realizar o inventário aumente nos próximo anos, afinal, os erros só podem ser corrigidos quando identificados.

Mais informações Site: www.ghgprotocolbrasil.com.br Canal no Youtube do GHG Protocol: www.youtube.com/playlistlist=PL4B04FF00E732632B&feature=plcp